E-Fabrica

22/12/2013
Novas Crnicas - Leia crnicas do cotidiano Saiba mais...
22/12/2013
O Safety dever ser em Agosto de 2014. Espero que uma grande Universidade entre este ano. Saiba mais...
24/2/2014
Teste de link Saiba mais...

 
Programa de 2013

11 de julho de 2013 – Quinta-Feira

Cerimônia de Abertura do Congresso

Dr. Alfredo Guarischi, Presidente do Congresso  - SafetyMed & GERHUS

Major Brigadeiro Médico Dr. Jorge Marones de Gusmão - Diretor de Saúde da Aeronáutica, FAB

Vice Almirante Med. Celso Montenegro - Diretor de Saúde da Marinha

Dr. Roberto D‘Avila – Presidente do Conselho Federal de Medicina

Dra. Marcia Rosa de Araújo - Presidente do CREMERJ

Dr. Armando de Oliveira e Silva- Presidente do CBC

Dr. Marcos Moraes,  Presidente da Academia Nacional de Medicina

Dr. Luis Antonio Santini da Silva – Diretor do Instituto nacional do Câncer

 

COFFEE-BREAK

 

O Conselho Federal de Medicina e a Segurança do paciente

Palestrante: Dr. Roberto Luiz D’Avila – Presidente do Conselho Federal de Medicina

 

Entrega do Prêmio Augusto Paulino de Souza Netto de Segurança em Cirurgia

Moderador: Dr. Alfredo Guarischi, SafetyMed & GERHUS

Em oito minutos: Reflexões de uma jovem médica. Dra. Juliana Mynssen, Mestranda da USP.

Homenageado de 2012 : Dr. Marcos Moraes.

Homenageado de 2013: Dr. Nelson Medina de Barros Coeli.

Apresentação e entregue do Prêmio; Dr. Roberto Luiz D’Avila, Presidente do Conselho Federal de Medicina

 

COFFEE-BREAK

 

Programa Nacional de Segurança do Paciente do Ministério da Saúde

Palestrante: Dra. Patrícia Fernanda Toledo Barbosa,  Anvisa-Ministério da Saúde.

 

O paradigma do “Overdiagnosis” e a Segurança do Paciente

Palestrante: Dr. Luiz Claudio Correis, Professor da Escola Baiana de Medicina

 

INTERVALO – Almoço


Evidence based system strategies to improve safety of elders

Palestrante: Dra. Aleta Borrud, Médica Hospitalista da Mayo Clinic, EUA.

 

Avaliação dos Poster (no salão 2 andar)

Moderador: Dr. Fernando Parago, H de Força Aérea do Galeão, RJ

 

Acreditação Hospitalar: Tem prazo de validade?

Palestrante: Dra. Sandra Abrantes Krug Seabra, Médica da Joint Comission International, RS

 

COFFEE-BREAK

 

Batalhão de Ação com Cães (BAC): o que aprendemos.

Palestrante: Ten. Cel. PM-RJ Marcelo Nogueira Martins, Comandante do BAC da PMRJ.

 

O que o BOPE tem haver com a Medicina?

Palestrante: Ten. Cel. PM-RJ Willian René Affonso, Comandante do BOPE, PMRJ.

 

Planejamento em Segurança Pública – lições e reflexões.

Palestrante:  Cel. PM-RJ Alberto Pinheiro Netto, Chefe do Estado Maior Operacional da Policia Militar do Rio de Janeiro

 

Pedagogia e ensino

Palestrante: Professor Aristeo Leite Filho – PUC e UERJ, RJ

 

Experiências em forma temas livres

Moderadores:

Dra. Enf. Cassiana Prattes, Coordenadora de Gerenciamento de Riscos do H. Ernesto Dornelles, RS

Dra. Sandra Abrantes Krug Seabra, Joint Commission International, RS

Dr. Fernando Parago, H de Força Aérea do Galeão, RJ

 

12 de julho de 2013 – Sexta-Feira

 

Checklist não precisa ser assinado, mas realizado.

Palestrante: Dra. Enf. Cassiana Prattes, Coord. de Gerenciamento de Riscos do H. Ernesto Dornelles, RS

 

O que leva o profissional de saúde à sala de espera do psiquiatra

Palestrante: Dr. Daniel Sócrates de Castro, Psiquiatra, CREMESP,UNIAD/UNIFESP

 

Atendimento Pré Hospitalar: O Bombeiro fez a diferença?

Palestrante: Cel. BM MED Fernando Suarez Alvarez, - CMTE DO RRO E EMERGÊNCIA D

 

COFFEE-BREAK

 

Segurança não se compra, mas se vende?

Palestrante: Dr. Alfredo Guarischi, Safeymed & GERHUS

 

Sistema de Suporte Médico nas Olimpíadas de 2016: Qual o tamanho do desafio.

Palestrante: Dr. Antonio Bispo Santos Jr., Chefe dos Serviços Médicos e Controle de Doping dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

 

INTERVALO – Almoço

        

Medicina de catástrofes: estamos preparados?

Palestrante: Cel. Med. Dr. Eduardo Camerine, Diretor do H. De Força Aérea de Belém, Pará.

 

O farmacêutico clinico:  Fato ou Ficção,

Palestrante: Dr. Farmacêutico Mario Borges Rosa. Presidente do ISMP Brasil, BH.

 

Tecnologia e Segurança andam juntas?

Palestrante: Dr. Ben-Hur Ferraz, Cirurgião de Transplante, H. São José, SP.

 

COFFEE-BREAK

 

Simulação como prevenção dos erros

Palestrante: Dra. Lucia Pezzi,  Professora de Anatomia de UFRJ, Coordenadora do Laboratório de Simulação do Curso de Medicina da Universidade Estácio de Sá, RJ.

 

O que o acidente de Teneriff pode ensina a Medicina.

Palestrante: Dr. Alfredo Guarischi, Safeymed & GERHUS

 

O que o caso da Vincristina ocorrido no Reino Unido serve para a aviação.

Palestrante: Maj. Av. Felipe Koeller Rodrigues Vieira, FAB, RJ.

 

Anestesia e Segurança: uma longa história.

Palestrante: Dr. Airton Bagatinni, Presidente da Sociedade Brasileira de Anestesiologia.

 

O que aprendemos, o que fizemos e o que pode ser feito - reflexões da prática.

Palestrante: Dr. Walter Vieira Mendes Jr.. Escola Nacional de Saude Publica, FIOCRUZ, M. Da Saúde, RJ.

 

Encerramento e convite para o Safety 2014

Dr. Alfredo Guarischi

Organizador do Safety

 

PALESTRANTES – Safety 2013

Convidada Internacional

Dra. Aleta Borrud

Médica Hospitalista, Departamento de Medicina Interna da Mayo Clinic, Rochester, USA.
Instrutora de Medicina Interna. Pós Graduada em Geriatria. USA

 

Convidados Nacionais


Dr. Airton Bagattini
Médico, Anestesiologista do Hospital Ernesto Dorneles, RS. Presidente da Sociedade Brasileira de Anestesiologia. RS.

Cel. PM. Alberto Pinheiro Neto
Chefe do Estado Maior Operacional da Policia Militar do Rio de Janeiro.

Dr. Alfredo Guarischi
Médico, Colaborador do Proqualis-ICICT-Fiocruz, Cirurgião do INCa. Membro da Camera Técnica de Oncologia do CREMERJ. Organizador do Safety e do GERHUS. RJ

Dr. Antonio Bispo
Médico Chefe dos Serviços Médicos e Controle de Doping dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Executivo em Saúde, COPPEAD, UFRJ. Ex-Presidente da Sociedade Brasileira de Vídeocirurgia Capitulo RJ (2007-10).Ex- Presidente da Sociedade Brasileira de Videocirurgia (2010-12), RJ.

Professor Aristeo Leite Filho
Graduado em Pedagogia pela Universidade Santa Úrsula. Mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Doutor em Ciências Humanas - Educação pela PUC/Ri. Professor Adjunto da Universidade Estadual do Rio de Janeiro - UERJ. Coordenador da Coordenação de Prática de Ensino e Estágio Supervisionado da Faculdade de Educação da UERJ. Diretor da Escola Oga Mitá no Rio de Janeiro.

Dra. Enf. Cassiana Prates
Enfermeira. Pós Graduação em Administração Hospitalar e Negócios em Saúde pelo Instituto de Administração Hospitalar e Ciências da Saúde.Mestrado em Ciências Médicas pela UFRGS .Pós Graduação em Gestão de Risco e Segurança Hospitalar pela UNISINOS. Coordenadora do Serviço de Epidemiologia e Gerenciamento de Riscos do Hospital Ernesto Dornelles / Porto Alegre, RS.

Dr. Daniel Sócrates
Psiquiatra, Especialista em Dependência Química pela UNIAD/UNIFESP. Psiquiatra assistente da Rede de Apoio aos Médicos CREMESP/UNIFESP. Membro da Câmara Técnica de Psiquiatria do CREMESP.

Dr. Ernani Saltz
Médico, Chefe do Serviço de Oncologia Clinica do Hospital Federal Cardoso Fontes. Membro da Camera Técnica de Oncologia do CREMERJ-RJ.
Felipe Koeller Rodrigues Vieira
Major Aviador da Força Aérea Brasileira. Instrutor de voo em aviões e helicópteros. Investigador Sênior de Acidentes Aeronáuticos. Oficial de Segurança de Voo. Editor Científico da Revista da Conexão SIPAER. Organizador do Safety e do GERHUS.RJ.

Cap. Med. Fernando Mallet Soares Paragó
Médico. Cirurgião Geral e Coloproctologista. Instrutor do Advanced Trauma Life Support for Doctors - American College of Surgeons. Instrutor do Curso de Capacitação em Medicina Operacional do Instituto de Medicina Aeroespacial da FAB. Instrutor do treinamento de Gerenciamento de Recursos Humanos em Saúde (GERHUS). Chefe da Subseção de Cirurgia Oncológica e Coloproctologia do Hospital de Força Aérea do Galeão.

Cel Med BM Médico Fernando Suarez Alvarez
Médico. Especialista em ATLS, PALS, BTLS e BLS. Comandante do Grupo de Socorro e Emergência (GSE-RJ).

Dr. Guilherme Brauner Barcellos
Médico. Especialista em Clínica Médica e Terapia Intensiva. Intensivista do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Membro do Programa de Gestão da Qualidade e da Informação em Saúde (QUALIS). Ex- Presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Hospitalar (2008-2010). Colaborador do Proqualis-ICICT-Fiocruz. RS.

Dra. Juliana Mynssen
Médica, Cirurgiã Geral pela UFF e USP, atualmente no Hospital Estadual Avezedo Lima, Niteroi, RJ.

Dra. Lucia Pezzi
Médica. Cirurgiã Geral do Hospital Clementino Fraga Filho da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professora de Anatomia do Instituto de Ciências Biomédicas da UFRJ. Coordenadora do Laboratório de Simulação do Curso de Medicina da Universidade Estácio de Sá – RJ.

Dr. Luís Cláudio Correia
Médico, Professor Livre-Docente em Cardiologia, Doutor em Medicina e Saúde. Professor Adjunto da Escola Bahiana de Medicina.

Ten. Cel. PM Marcelo F. Nogueira Martins
Comandante do Batalhão de Ações com Caes (BAC) da Policia Militar do Rio de Janeiro.

Dr. Mario Borges Rosa
Farmacêutico da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig). Coordenador da Comissão de Segurança Assistencial e Hospital Sentinela do Hospital João XXIII da Fhemig. Presidente do Instituto para Práticas Seguras no Uso de Medicamentos (ISMP Brasil).

Dra. Patricia Fernanda Toledo Barbosa
Médica, MBA em Gestão de Sistemas Hospitalares e Sistemas de Saúde, Mestre em Saúde Coletiva. Coordenadora de Vigilância em Serviços Sentinela da Anvisa.

Dra. Sandra Seabra
Médica, Especialista em Pediatra. Avaliadora de Acreditação da Joint Commission International. RS

Dr. Walter Mendes
Médico, professor e pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública (Fiocruz). Doutor em saúde pública. Experiência profissional como gestor de serviços de saúde e avaliador de serviços de saúde. Autor de livros e artigos sobre avaliação da qualidade em serviços de saúde, segurança do paciente e atendimento domiciliar. Membro do Comitê de implantação do Programa Nacional de Segurança do Paciente.

Ten. Cel. PM Wilman Rene Gonçalves Alonso
Comandante do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) da Policia Militar do Rio de Janeiro.

 

COMISSÕES & ORGANIZAÇÃO – SAFETY 2013

 

Organizadores

Alfredo Guarischi – Médico – GERHUS & SafetyMed

Ernani Saltz - Médico - Hospital Federal Cardoso Fontes - RJ

Felipe Koeller Rodrigues Vieira – Maj. Av. Força Aérea Brasileira - Safety & GERHUS - RJ

 

 

Comissão Científica do Safety 2013

Alfredo Guarischi - Médico - Safety & GERHUS

Cassiana Prates – Enfermeira – Hospital Ernesto Dornelles - RS

Ernani Saltz - Médico - Hospital Federal Cardoso Fontes - RJ

Felipe Koeller Rodrigues Vieira - Maj. Av. Força Aérea Brasileira – Safety & GERHUS

Fernango Paragó - Médico - Hospital de Força Aérea do Galeão - RJ

Guilherme Barcellos - Médico - Hospital de Clinicas de Porto Alegre - RS

Mario Borges Rosa - Farmacêutico - Presidente ISMP BRASIL - MG

Marcia Stephan - Doutora em Psicologia pela Vrije Universiteit de Amsterdam

Sandra Seabra - Médica - Avaliadora de Acreditação da Joint Commission International - RS

Paulo Victor Carvalho - Engenheiro - Instituto de Energia Nuclear - RJ

Rui Haddad – Médico - Academia Nacional de Medicina e PUC RJ

 

Comissão de Temas Livre do Safety 2013

Dra. Enf. Cassiana Prattes, Coord. de Gerenciamento de Riscos do H. Ernesto Dornelles, RS

Dra. Sandra Abrantes Krug Seabra, Joint Commission International, RS

Dr. Fernando Parago, H de Força Aérea do Galeão, RJ

 

Mensagem do Organizador do Safety 2013

 

O Safety nasceu em 2008. Filho de questões pessoais, vem crescendo e já tem vontade própria. Os padrinhos – tantos – apoiaram e mostraram os caminhos. Nasceu à fórceps, ainda não caminha sozinho e precisa de ajuda de todos. É de minha responsabilidade e não desistirei. Não adianta pedir para sair, pois até as caveiras apoiam esta luta.

Pela sexta vez um novo Safety. Nunca é igual. Venha aprofundar a discussão e propostas.

O Safety não certifica nada, apenas debate fatos e só visa o lucro social. Nosso site permanente www.safetymed.com.br continua lento e em busca de ajuda.

Muito tem ocorrido no estudo da Segurança do Paciente e diversas diretrizes têm sido propostas. Não existe solução quando o diagnóstico não é correto e completo. Qual o diagnóstico?

Pouco adianta importar soluções, bem como reinventar a roda é perder tempo. O Ministério da Saúde em 1 de abril deu um importante passo. O Plano Nacional de Segurança do Paciente pode criar uma estrutura adequada para discutir o tema.

O sistema de saúde é quase do tamanho da indústria do petróleo, respectivamente 8,8% e 10% do PIB brasileiro. Não é um mau negócio, mas vai mal das pernas... No Brasil temos um gravíssimo problema no ensino e no regime de trabalho com TODOS as categorias de profissionais de saúde.

As escolas do sistema de saúde de excelência são poucas. As vagas para residência médica ou estágios com supervisão adequada, são insuficientes. A imensa maioria prefere frequentar um curso do que suas atividades regulares, como o internato. Com alta mensalidade, organizados e estruturados, mantêm altos indices de aprovação nas provas de residência médica. Na residência médica fica claro o desastre, pois os “biônicos aprovados” não conhecem um doente de carne e osso, apenas os de papel e em fotos. Pseudo-Pós-graduações ou estágios passam ser o primeiro emprego – mão de obra barata e de má qualidade. Plantões bem remunerados competem com o ensino formal. O resultado destas armadilhas será sentido em poucos anos.

Nos países desenvolvidos também ocorrerem erros iguais aos que ocorrerem no Brasil. Erros ocorrem em hospitais privados famosos, que atendem a elite do PIB brasileiro, semelhantes aos dos hospitais públicos. A diferença está na frequência, gravidade, publicidade, repercursão social, apuração dos fatos e encaminhamento desta questão, no mundo e no Brasil.

A punição em caso de imprudência, negligência e imperícia é o justo. A complexidade está na definição destes termos, que varia conforme o sistema de saúde e quem é a vítima. Erros voluntários cometidos de forma sabidamente inadequada não é um erro, é um crime, independente do local ou do profissional.

Humanos erram com frequência, mas a consequência do erro (dano) só ocorre quando existe uma conjugação de fatores, muitos dos quais sem aparente relação. Os aspectos jurídicos e econômicos acabam prevalecendo. A busca pela punição vira regra. Com isso perdemos a oportunidade de entender o porquê e como realmente ocorreu o erro, independente de ter havido dano.

Se fala tanto em Segurança do Paciente principalmente por três motivos: o problema existe, pode atingir qualquer pessoa e custa caro. A imprensa faz seu papel. Os trabalhos científicos demonstram que o problema é mundial e não apenas de paises em desenvolvimento. E, principalmente, porque a conta paga ficou alta demais e todos, agora, sentem que existe um grave problema estrutural no sistema de saúde. Esta é a dura realidade.

A epidemia de AIDS só começou a ser vencida quando ficou claro que o problema existia. A Segurança do Paciente não é causada por um vírus, mas principalmente por seres humanos. A cura do AIDS está perto e a Segurança do Paciente está longe. Muito longe.

Como o Fator Humano é o mantra do Safety e esta questão não traz atrativo econômico, o congresso desperta pouco interesse de patrocínio. Ter seu nome ligado a algo que pudesse lembrar o que não deu certo, tem sido outro obstáculo. Mas, nestes cinco anos, destemidos patrocinadores permitiram viabilizar o congresso. Sem eles não teríamos caminhado tanto. O Safety precisa que você venha nos ajudar, pois não há almoço de graça.

Repetindo Mario Quintana, o poema não muda o mundo, mas muda os homens que podem mudar o mundo. O Safety não vai mudar a medicina, mas mudará alguns que podem fazer uma medicina melhor.

Aguardo vocês.


Alfredo Guarischi

Organizador do Safety

 

Meu compromisso

Quando idealizei o símbolo para o Safety criei um paraquedas para amortecer o choque da queda e uma mão para apará-la. Criei esta identidade visual utilizando a funcionalidade do paraquedas e da mão amigada. Segurança é trabalho em equipe.

Busquei ajuda de profissionais das Forças Armadas e do BOPE desde o início. Esses homens e mulheres exercem uma luta complexa e dura. A vida e a morte fazem parte do seu a dia a dia. Aprendi muito convivendo e trocando ideias. Afinal, assim como eles, os profissionais de saúde, também passam por complexas situações. Para ambas profissões inexiste o direito de errar. Somos de alguma forma parecidos e igualmente cobrados. Não somos deuses e hoje, as três profissões, passam por enormes dificuldades para servir á sociedade, da qual fazemos parte.

Dr. Júlio Sanderson de Queiroz, verdadeiro exemplo do ideal médico, escreveu: “A cura é anônima, mas a morte é notícia”. Quando escrevi “Cadeiras, médicos e pacientes”, inspirado na mineirice do Dr. Júlio, busquei explicar porque pacientes e médicos devem conversar sentados.

O sofrimento humano é o nosso dia e noite. Dividido entre um Dr. Kildare e um Dr. House, passando por MASH, percebo muitas mudanças. Aprendi que coragem não é a ausência de medo, mas como o enfrentamos. Claro que tenho medo, por isso tenho coragem de desafiar este sistema de saúde injusto, sem estrutura há décadas, e buscar meus “vinte centavos”. Passei a discutir o Erro Humano. A ajuda de profissionais de inúmeros setores, não relacionados a saúde, que palestraram no Safety ajudou a demonstrar que todos erramos. Apenas os mentirosos não erram: fraudam o que é correto, culpando as “segundas vítimas”, na maioria profissionais fadigados e sem treinamento. Por outro lado os bons demoram a se desfazer de suas maçãs podres (elas existem) por um falso espírito de corpo. Este mal profissional (uma minoria) deve ser excluído. Negar sua existência é um atentado a cidadania dos que precisam do sistema. Qualquer que seja ele.    

A ajuda dos amigos da atual Comissão e das anteriores foi fundamental. As entidades que apoiam o Safety jamais me questionaram ou impuseram palestrantes ou censura. Os patrocinadores agiram da mesma forma. Sem eles não teríamos caminhado e permitido que tantos profissionais pudessem estar no Safety. Nesses últimos dois anos a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos que, apesar de não ser ligada ao sistema de saúde diretamente, entendeu que apoiar um evento que visa beneficiar este sistema agrega valor e gera benefícios de uma forma geral. A Mayo Clinic envia mais uma vez um palestrante  ao Safety, para isto foi fundamental a ajuda do hospitalista e amigo Dr. Guilherme Barcellos.

Meu amigo, meu médico e meu irmão Dr. Ernani Saltz e o Maj Av Felipe Koeller (meu amigo e que criou comigo o GERHUS) foram responsáveis por colar algumas de minhas partes que se quebraram nos últimos dois anos. Por isso pude estar de volta.

Este ano vamos novamente ouvir palestras no estilo TED. Perguntas e debates só no corredor. Esta é a regra.           

O Safety precisa de você. Venha e volte mais forte. Aprenda que a Segurança do Paciente não pode ser um produto que se compra. Juntos somos muito mais poderosos do que os que fraudam, desviam verbas, e não têm responsabilidade social.  Aceitar que “medicina é assim mesmo” não é medo e sim covardia. Vamos fazer uma medicina padrão FIFA, com custos auditados e publicados na internet. Mas lembre-se que se não houver ordem não haverá progresso. Somos uma espécie de caras pintadas, da paz e do amor.         

Alfredo Guarischi

Organizador do Safety

 

 

<< Voltar